Grávida pode viajar de avião? Saiba tudo aqui!

Viajar de avião durante a gestação é um assunto que ainda gera muita dúvida. Confira aqui as recomendações e documentos necessários.

Toda futura mamãe se preocupa com vários aspectos durante seu período de gestante. Todo cuidado é válido durante a gravidez e é totalmente compreensível essa preocupação.

Com o cotidiano cada vez mais corrido, viagens de avião estão mais presentes na vida das gestantes. Seja para resolver problemas do trabalho ou até mesmo relaxar naquelas férias programadas a tempos.

Neste artigo, você vai entender se uma grávida pode viajar de avião além de se informar sobre os cuidados especiais e quais são as políticas de cada companhia aérea sobre o assunto.

Grávida viajar de avião é permitido?

Sim! Uma grávida pode viajar de avião sem o menor problema. A viagem no entanto é indicada para as grávidas que não possuam nenhum risco e estejam gozando de saúde plena, assim como seu bebê.

Por padrão, as grávidas podem viajar de avião durante o primeiro e segundo trimestres da gestação. Isso significa que até a 27ª semana em uma gestação normal ou até a 25ª semana em uma gestão de gêmeos, o voo poderá ocorrer sem nenhum problema para a grávida.

É importante lembrar que toda grávida deve consultar o médico que está acompanhando a gestação. Cuidados extras podem ser requeridos se a gestante estiver passando por sangramentos, pressão alta, diabetes ou qualquer outro tipo de doença que requeira maior atenção.

Grávida viajar de avião: Quando não é indicada a viagem

A viagem de avião não é recomendada para gestantes nos três primeiro meses da gravidez. Isso porque, neste período é que ocorre a base para o bom desenvolvimento do feto. É o que diz a médica obstetra Rosa Maria Ruocco, assistente da divisão de clínica obstétrica do Hospital das Clínicas de São Paulo.

É neste período também que o risco de aborto espontâneo é maior. Os casos de aborto nesse período são mais frequentes e pode ser explicado pela ciência.

O embrião é a soma do material genético da mãe e do pai. Por conta do material genético diferente no corpo da mulher, o sistema imunológico em casos específicos, poderá tentar expulsar o feto, já que o considera como um corpo estranho.

Durante o primeiro trimestre a mulher também está mais propensa a ter mais sonolência, enjoos e outros sintomas que podem tornar a viagem mais desgastante que o normal. Este mal estar é causado por conta do corpo da futura mamãe estar se adaptando para o desenvolvimento do bebê.

Existem outros pontos que também podem impedir que uma grávida viaje de avião. Os principais impeditivos são doenças ou qualquer tipo de problema que possa colocar em risco a saúde do feto e da gestante.

A gestante sempre deve consultar seu médico antes de viajar, mas nas situações listadas abaixo o risco da viagem pode ser maior. Confira as condições que impedem uma gestante de viajar de avião:

  • pressão alta;
  • diabetes normal ou diabetes gestacional;
  • sangramento de escape;
  • ter feito um parto prematuro anteriormente;
  • gestantes que tenham sofrido abortos espontâneos anteriormente;
  • doenças que exijam acompanhamento médico intensivo.

Existem também alguns casos clínicos que são gerados pela própria gestação que pode impedir a viagem:

  • anemia severa;
  • anemia falciforme;
  • insuficiência placentária;
  • gestante estar propensa a formação de coágulos.

Nos casos descritos, a recomendação é que o voo seja feito somente em casos de extrema necessidade. E ainda sim, a gravidez pode sofrer com isso.

Viagens programadas de férias por exemplo, devem ser adiadas se a gestante estiver enquadrada em alguma das situações acima.

Os médicos especialistas em gestação recomendam que as gestantes com condições normais de saúde também façam exames antes da viagem. Mesmo que elas não apresentem nenhum sintoma dos casos descritos, há riscos em qualquer tipo de viagem de avião.

Grávida viajar de avião: Viagens internacionais são permitidas?

Não existe nenhuma regulamentação específica nos casos em que a grávida precisa fazer viagens internacionais.

Os cuidados recomendados são os mesmo para viagens em território nacional. No entanto é importante lembrar que uma viagem internacional é mais longa e desgastante para a grávida.

As mulheres grávidas geralmente possuem mais vontade de urinar durante a viagem. Ao comprar a passagem para esse tipo de viagem mais longo, é altamente recomendado que se escolha um assento que esteja próximo aos banheiros e que fique no corredor.

O assento no corredor irá facilitar e trazer mais comodidade à grávida durante a viagem de avião internacional.

Outro ponto importante a considerar é que, durante a gravidez, a gestante possui cerca de 50% a mais de quantidade de sangue circulante no corpo. Isso pode gerar um grande desconforto se a grávida permanecer muito tempo nessa posição.

Além do desconforto, permanecer parada na mesma posição por muito tempo aumenta a dificuldade do retorno do sangue venoso, causando inchaço geral. A recomendação nesses casos é que se utilize uma meia compressora durante o voo.

Exercícios com as pernas durante o períodos em que a grávida permanecer sentada também é aconselhado, com o objetivo de melhorar a circulação. Se possível, a gestante pode fazer pequenas caminhadas também.

Por conta de sua condição, as grávidas precisam se manter hidratadas constantemente. Esse detalhe também deve ser levado em conta durante um voo internacional.

Conheça as políticas de cada companhia aérea em relação a passageiras grávidas

As companhias aéreas possuem suas próprias orientações para passageiras grávidas. Logo abaixo, você pode conferir quais são essas regras nas principais empresas no Brasil.

Azul

A Azul permite que grávidas com até 28 semanas de gestação viagem sem apresentação de atestado médico ou Declaração de Responsabilidade, desde que esteja com a saúde em bom estado.

Entre a 28ª e a 35ª semana, a Azul já passa a exigir apenas a apresentação do atestado.

Entre a 36ª e a 37ª semana de gestação, além do atestado médico autorizando a viagem, a gestante também terá que apresentar a Declaração de Responsabilidade disponibilizada pela própria empresa.

À partir da 38ª semana de gravidez, o embarque da gestante na Azul só é permitido se o médico responsável pela gravidez puder acompanhar a grávida dentro do voo.

Uma das exigências da Azul quanto a documentação é que o atestado médico autorizando a viagem tenha sido emitido com no máximo 7 dias de antecedência da viagem.

LATAM

A LATAM segue a mesma linha de exigências da Azul. Até a 28ª semana, a grávida poderá viajar sem apresentar nenhum documento (atestado médico ou Declaração de Responsabilidade), desde que esteja em bom estado de saúde.

À partir da 28ª semana até a 36ª, para voar na LATAM, a gestante deverá apresentar um atestado médico autorizando a viagem. Esse documento deve estar assinado pelo médico responsável e ser entregue no balcão da empresa, no momento do check-in do voo.

Da 36ª semana até a 39ª semana de gestação, a grávida só poderá embarcar no voo apresentando o atestado médico autorizando a viagem ou o formulário MEDIF (Autorização Médica).

O MEDIF está disponível diretamente no site da companhia e pode ser acessado neste link.

O formulário MEDIF deve ser entregue ao balcão da companhia aérea no momento do embarque.

A exigência do prazo de emissão do atestado médico na LATAM é de até 10 dias anteriores a data do voo.

Neste atestado no entanto, é necessário que conste algumas informações como:

  • parecer médico;
  • idade gestacional em semanas;
  • estimativa do nascimento do bebê;
  • origem e destino da viagem;
  • autorização de voo para a gestante;
  • tempo máximo permitido por voo;
  • datas e horários de embarque e desembarque;

Avianca

A Avianca permite que passageiras grávidas embarquem sem apresentação de qualquer documento até a 27ª semana de gestação. No entanto, há a exigência do preenchimento de um termo de responsabilidade no momento do check-in.

Esse termo pode ser obtido no site da companhia aérea ou ser solicitado junto ao balcão da companhia.

Para grávidas que estejam entre a 28ª e a 35ª semana de gestação, o formulário de responsabilidade também é exigido, assim como o atestado médico que deve ter validade máxima de sete dias de antecedência da data da viagem.

No atestado médico há a exigência de constar algumas informações como:

  • provável data do parto;
  • idade gestacional;
  • declaração médica autorizando a grávida viajar;
  • locais de embarque e desembarque.

A Avianca possui uma política mais exigente com as grávidas que estão na 36ª e 37ª semana de gestação. Além do termo de responsabilidade e do atestado médico, também há a exigência da entrega do MEDIF.

Neste caso, o MEDIF precisa ser enviado para o email da companhia com antecedência máxima de 72 horas do voo. O documento precisa estar digitalizado, sendo necessário a assinatura da grávida e do médico responsável.

A companhia aérea irá então fazer a análise do documento, retornando uma resposta dizendo se a viagem será permitida ou não para a gestante.

Na 38ª semana, a grávida só poderá viajar acompanhada de seu médico responsável, além de ter que entregar toda a documentação exigida (termo de responsabilidade, atestado médico e MEDIF).

Na 40ª semana a grávida já não é mais permitida viajar pela companhia, por conta dos riscos implícitos nesta fase da gestação.

Gol

A Gol tem regras muito parecidas com a LATAM e a Azul:

  • até 27ª semana: voo permitido sem nenhuma documentação;
  • 28ª a 35ª semana: preenchimento da Declaração de Responsabilidade;
  • 36ª e 37ª semana: Declaração de Responsabilidade e Atestado Médico;
  • 38ª semana: acompanhamento do médico responsável mais a documentação exigida (Declaração de Responsabilidade e Atestado Médico).

Cabe lembrar que todas as orientações das empresas são baseadas em uma gravidez sem risco, onde a gestante esteja com a saúde em perfeito estado.

Para casos adversos, antes da compra da passagem, é recomendado que se consulte a companhia que deseje voar para verificar quais são os documentos e procedimentos para que a viagem ocorra sem problemas.

Seguro para grávida viajar de avião

Existe uma modalidade de seguro viagem que é totalmente dedicada para as passageiras grávidas.

Nesse tipo de seguro, estão inclusos na cobertura assistência médica, assistência farmacêutica, traslado médico e atendimento durante 24 horas por dia, 7 dias da semana.

Caso a grávida esteja em um voo internacional, esse atendimento é totalmente feito em português.

Por preços acessíveis, é possível fazer um seguro viagem para grávidas assegurando maior tranquilidade durante todo o voo e estadia enquanto não retorna a aeroporto de origem.

É indicado verificar primeiramente com a companhia aérea escolhida para o voo se há esse tipo de seguro disponível para contratação pela empresa. Caso não tenha disponível junto a companhia aérea, a contratação de seguro de empresas especializadas nesse serviço é a solução.

Grávida em viagem de avião: Cuidados especiais

As grávidas precisam tomar alguns cuidados especiais para viajar de avião neste momento tão especial em suas vidas.

Abaixo, listaremos algumas dicas do que fazer para melhorar o conforto da viagem para as gestantes:

  • Ao viajar, usar roupas leves e confortáveis, que permitam uma movimentação fácil. É sempre importante lembrar que durante a gestação as mulheres podem sofrer inchaços inesperados, especialmente se a viagem for longa;
  • Sentar próximo a um banheiro, de preferência na poltrona do corredor para facilitar o acesso ao banheiro quando necessário;
  • Usar meias de compressão em viagens longas;
  • Se hidratar constantemente;
  • Manter em local de fácil acesso, os números de telefone do médico responsável pelo acompanhamento da gestação;
  • Levar na bagagem de mão medicamentos que podem proporcionar maior conforto durante a viagem, evitando também que sejam perdidos caso a bagagem seja extraviada;
  • Descansar bem antes da viagem é essencial para uma experiência positiva;
  • Fazer uma refeição leve e equilibrada durante a viagem, para evitar os enjoos tão comuns tanto na gravidez como em viagens de avião.
  • A passageira grávida deve fazer exercícios durante o período que estiver em seu assento, para melhorar a circulação do sangue;
  • Em viagens longas, a gestante é orientada a levantar e caminhar um pouco no avião, para que a circulação do sangue não sofra problemas.

A viagem de avião para grávidas é recomendada somente em casos inadiáveis, pois essa situação sempre pode gerar mal estar e desconforto para a futura mamãe.

Nos casos que a viagem seja inadiável, é recomendado seguir as informações do nosso texto para que a experiência durante o voo seja a melhor possível.

Você sabia de todos esses detalhes sobre grávidas em viagens de avião?

Se tiver alguma dúvida, deixe nos nossos comentários!

Summary
Grávida pode viajar de avião? Saiba tudo aqui!
Article Name
Grávida pode viajar de avião? Saiba tudo aqui!
Description
Viajar de avião durante a gestação é um assunto que ainda gera muitas dúvidas. Confira aqui as recomendações e documentos necessários para a viagem.
Author
Publisher Name
Voe Tranquilo
Publisher Logo

Compartilhe

Ficou alguma dúvida?